Com suas piscinas naturais, seus barquinhos coloridos e seus coqueirais, Itacimirim convida ao ócio em sua melhor expressão.


 
Folga, quietação, vagar. É assim a definição do ócio que vale a pena, aquele que abre espaço para o descanso da mente, que revitaliza a criatividade e faz do repouso um tempo de renovação. Como disse Domenico De Masi, autor de O Ócio Criativo, “O ócio é necessário à produção de ideias, e as ideias são necessárias ao desenvolvimento da sociedade”. 
 
Itacimirim, com suas piscinas naturais, seus barquinhos coloridos e seus coqueirais, é um cantinho do mundo que convida ao ócio em sua melhor expressão. Lá, o tempo segue sem pressa e o lazer é perfeitamente simples – acordar, tomar um bom café, passear pela praia, descansar ao sol, mergulhar, comer uma boa moqueca no almoço e esperar o fim do dia para ver a lua de noite. Precisa de mais
 
Para o navegador Amyr Klink não precisava... Em 1984, após uma travessia de 100 dias pelo atlântico, sozinho num barco a remo, ele chegou à Bahia pela Praia da Espera, em Itacimirim. Praticamente descobriu o lugar, colocando-o no mapa dos paraísos à beira mar ao voltar algumas vezes para acompanhar as regatas que surgiram em sua homenagem. 
 
O povoado cresceu, ganhou infraestrutura, mas a vocação para a tranquilidade permanece e é o principal atrativo para quem ama Itacimirim. De barulho, só as ondas batendo na praia. À noite, a programação mais agitada é ver a desova das tartarugas. Sim, não fazer nada em grande estilo é o convite de Itacimirim para você!